in

Por dentro da nova exposição de Oscar Oiwa, em cartaz a partir desta terça na Japan House – Glamurama

Oscar Oiwa em meio à instalação “Paraíso”, criada ao longo de 14 dias com 120 canetas Sharpie || Créditos: Glamurama

Dica ótima de arte: a partir desta terça-feira a Japan House, em São Paulo, recebe a mostra “Oscar Oiwa no Paraíso – Desenhando o efêmero”, com seleção de trabalhos e instalação inédita do artista plástico nissei Oscar Oiwa. Filho de japoneses, o brasileiro consolidou seu estilo estético no Japão onde viveu por 11 anos na década de 1990 logo após se formar na FAU/USP e fazendo o caminho inverso de seus pais. Destaque na cena artística contemporânea nipônica, Oiwa usa como fio condutor da exposição a influência entre as culturas japonesa e brasileira em seu trabalho.

Cliques da instalação “Paraíso”, parte da mostra “Oscar Oiwa no Paraíso – Desenhando o efêmero”|| Créditos: Glamurama

Destaque para a instalação “Paraíso” criada especialmente para a JH: um desenho em 360 graus de uma paisagem projetada pelo artista dentro de um balão inflável em material vinílico, criado ao longo de 14 dias de trabalho – 7 horas por dia – com cinco assistentes e 120 canetinhas Sharpie, segundo contou o artista ao Glamurama (assista abaixo vídeo que mostra como foi feita). Para visitar a obra e entrar no imaginário do artista, experiência testada e aprovada pelo Glamurama, é preciso tirar os sapatos.

Também em display, três telas do paulistano: “The Dream of the Sleeping World” (2009), “After Midnight” (2010) e “Invisible Sea” (2010).

A mostra fica em cartaz até dia 3 de junho e integra o calendário oficial de celebração dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil, comemorado neste ano. Obras de Oiwa contemplam acervos de museus pelo mundo como o “The National Museum of Modern Art”, “Tokyo” e “Phoenix Museum of Art”.